21.7.18

Jaime Siles (Silêncio)






SILENCIO


Equilibrio de luz
en el sosiego.
Mínima tromba.
Ensoñación, quietud.
Todo:
un espacio sin voz
hacia lo hondo oculto.

Jaime Siles



Equilíbrio de luz
em sossego.
Mínimo trovão.
Quietude, entonação.
Tudo,
um espaço mudo
no fundo oculto.

(Trad. A.M.)


.

19.7.18

Carlos Edmundo de Ory (Inverno)






INVIERNO


Sólo se oye la lluvia
Cómo besa
Con sus bocas sedientas
Los ojos de la tierra

¡Sólo se oye la lluvia
Como una extraña queja!

Silencio tú te mojas

Carlos Edmundo de Ory




Ouve-se apenas a chuva
Como beija
Com suas bocas sedentas
Os olhos da terra

Ouve-se apenas a chuva
Como um estranho queixume!

Silêncio, tu vais-te molhar

(Trad. A.M.)


.

17.7.18

Daniel Filipe (Romance de Tomasinho Cara-feia)






ROMANCE DE TOMASINHO CARA-FEIA



Farto de sol e de areia
que é o mais que a terra dá,
Tomasinho Cara-Feia
vai prá pesca da baleia.
Quem sabe se tornará?

Torne ou não torne, que tem?
Vai cumprir o seu destinho.
Só nha Fortunata, a mãe,
que é velha e não tem ninguém,
chora pelo seu menino.

Torne ou não torne, que importa?
Vai ser igual ao avô.
Não volta a bater-me à porta;
Deixou para sempre a horta,
que a longa seca matou.

Tomasinho Cara-Feia
(outro nome, quem lho dá?),
farto de sol e de areia,
foi prá pesca da baleia.

— E nunca mais voltará!

Daniel Filipe

.

15.7.18

Carina Sedevich (O ramo da figueira)






LA RAMA DE UNA HIGUERA



Es invierno todavía.
El ruido de la estufa
funcionando
es el amor.
El ruido del agua
que se templa
es el amor.
El ruido del agua
sacudiendo
la ropa que se lava
es el amor.
Nos desvelamos
para escucharlo todo
la gata y yo.


Carina Sedevich

[Marcelo Leites]




É ainda Inverno.
O ruído da chaminé
a arder
é o amor.
O ruído da água
a amornar
é o amor.
O ruído da água
a sacudir
a roupa lavada
é o amor.
Descobrimo-nos as duas
para escutar tudo
a gata e eu.

(Trad. A.M.)

.

13.7.18

Biel Vila (Às vezes)






A veces casi
sin pedirlo,
uno colecciona 
besos de hadas
y duda saber guardar
tanta pureza.


Biel Vila





Às vezes
até sem pedir,
uma pessoa junta
beijos de fadas.
E nem sabe como guardar
tanta pureza.

(Trad. A.M.)

.

11.7.18

Agustina Bessa-Luís (Instintos)






(Instintos)


Os animais são mais felizes; o instinto nunca lhes mente. Connosco, quando o instinto nos aproxima, aparecem os deveres, as conveniências, e coisas piores ainda. (III)



AGUSTINA BESSA-LUÍS
Fanny Owen
(1979)
.

9.7.18

Berta Piñán (Estações)





ESTACIONES



Salgo sola a caminar sobre la nieve.
Como quien se hubiera olvidado de vivir
por un instante -después del amor,
tú aún duermes.
Son los últimos fríos y
ya siento, bajo la piel tan blanca
de este invierno que acaba,
generaciones de raíces, bulbos
y semillas, multitudes hambrientas
de sol bajo la tierra.

Camino sola sobre la piel tan blanca
de este final de invierno
y en cada paso
adelanto, sin querer,
la primavera.


Berta Piñán

[Fragments de vida]




Saio sozinha, a caminhar pela neve,
como quem se esquecesse de viver
por instantes – depois do amor –
ainda tu dormes.
São os derradeiros frios
e eu já sinto, sob a pele tão branca
deste inverno a terminar,
raízes e mais raízes, bolbos
e sementes, multidões famintas
de sol por baixo da terra.

Caminho sozinha sobre a pele tão branca
deste final de inverno
e em cada passo
adianto, sem querer, a primavera.


(Trad. A.M.)

.