19.7.12

Alberto Vega (Geografia do sono)






GEOGRAFIA DO SONO




Tormenta de lua quieta,
na travesseira
um arcanjo de neve acorda-nos
com cem olhos abertos para o sono.


E a sombra
exultante da lembrança
multiplica-se em espaventos.
Ao abrigo do Ser e do milagre
nossa brisa interior alerta a noite.


Despertar não é morrer
mas abraçar
as coisas que nos agridem mais de perto.


(Trad. A.M.)


.